Internet das Coisas: sua empresa está preparada para esta tecnologia?

Provavelmente você já usou algum equipamento que se conecta à internet para realizar alguma atividade. Pode ser uma smart TV para acessar a Netflix ou um carro conectado ao smartphone para ouvir o Spotify. Fato é que essa tecnologia está por aí e tem nome: Internet das Coisas, um conceito que veio para facilitar as rotinas e otimizar boa parte dos processos.

Podemos dizer que a Internet das Coisas, ou IOT na sigla em inglês, é um conjunto de novas tecnologias que conecta objetos do dia a dia com a internet, possibilitando que eles se comuniquem entre si. Vários eletrodomésticos, meios de transporte, aparelhos de saúde e acessórios, como os relógios, já podem ser conectados à rede e, como consequência, estarem ligados a outros dispositivos.

Por isso, não é surpresa alguma ver que a Internet das Coisas chegou às indústrias e caminha a passos largos para mudar diversas rotinas nos próximos anos.

A Internet das Coisas na indústria

Cada vez mais a Internet das Coisas mostra que veio para ficar e para crescer. E o setor industrial já promete ser um dos mais impactados. Isso porque máquinas industriais inteligentes estão sendo criadas para trabalharem conectadas entre si por meio de softwares e sensores e processarem e analisarem grandes quantidades de dados.

A empresa de consultoria Frost & Sullivan fez um estudo em 2016 em que mostrou que o mercado de IOT no Brasil movimentou 1,35 bilhão de dólares só naquele ano, com a indústria no topo da lista dos investimentos. E não para por aí. Segundo a pesquisa, a expectativa é que esses valores cheguem a 3,29 bilhões de dólares em 2021 e sejam aplicados, principalmente, no desenvolvimento de softwares e serviços voltados para essa tecnologia.

Esses números da realidade brasileira não são (ou não deviam ser) novidade, pois no mundo inteiro a indústria percebeu há algum tempo a importância dessa tecnologia no dia a dia. Afinal, as aplicações da Internet das Coisas são inúmeras e, em algumas instâncias, já causa grandes impactos na vida das pessoas. Um bom exemplo são as inúmeras atividades que podemos fazer apenas com nosso smartphone.

De acordo com uma projeção realizada pela BI Intelligence, até 2020 serão mais de 40 bilhões de dispositivos conectados à web ― lembrando que para este mesmo ano, a previsão é que a população mundial seja de cerca de 7,7 bilhões ―, sendo que os dispositivos conectados por meio da Internet das Coisas devem representar mais da metade dessa quantidade, em especial no setor industrial.

Como a internet das coisas pode transformar a realidade das empresas

É importante entender que Internet das Coisas é uma tecnologia sempre em evolução. A velocidade com que é trabalhada varia de acordo com a área de atuação. Hoje, os maiores investimentos estão na indústria, como já falamos, no transporte e nos serviços públicos. Mas, na prática, você tem ideia de como ela funciona?

Já explicamos que a Internet das Coisas trata de objetos conectados entre si pela rede, que trocam informações para facilitar ou criar diversas ações. O que talvez você não saiba é que, para isso acontecer, há um conjunto de fatores que precisam estar alinhados. Essencialmente, são três componentes que precisam ser combinados para que uma aplicação de IOT funcione: os dispositivos, a rede e um sistema de controle.

Os dispositivos são todos aqueles que já conhecemos, como geladeiras, carros, lâmpadas, relógios, cafeteiras e televisões. É importante que eles estejam equipados com os itens certos para proporcionar a comunicação com os demais elementos, como chips, conexão com a internet, sensores, antenas, etiquetas RFID, entre outros.

Por sua vez, a rede funciona com o conceito básico de um meio de comunicação e de transmissão, como o Wi-Fi, o bluetooth e os dados móveis (3G e 4G). E o ciclo se encerra com o sistema de controle, que é necessário para que todos os dados capturados sejam processados, enviados para um sistema que os controla e, por fim, cruzados e analisados.

Para simplificar, imagine uma caldeira da área de fundição de uma indústria metalúrgica. Com a IOT, a caldeira, de forma autônoma, poderia avisar as equipes de gestão quando houvesse algo errado com o metal, suspender o trabalho em caso de problema grave ou sugerir os níveis ideais de mistura para potencializar a fundição dos metais. Tudo isso sem interferência humana e sem perda de tempo.

Interessante, não é mesmo? E por mais que pareça um cenário futurista, a Internet das Coisas já é uma realidade. Não chegou ao ponto do nosso exemplo ainda, mas está bem próxima de diversas inovações.

Como preparar a sua empresa para essa evolução

Com a Internet das Coisas se tornando cada vez mais acessível, não vai demorar para que os gestores passem a monitorar todo o fluxo de operações da empresa, a aumentar a velocidade de integração entre as diversas ferramentas disponíveis e a potencializar o trabalho das máquinas existentes.

Para isso, porém, é indispensável que eles tenham em mente que a cultura empresarial também deve se transformar. Afinal, de nada adianta investir pesado em equipamentos e softwares se os responsáveis pelo controle dessas máquinas não estiverem atualizados em relação a esse novo modo de produzir e essas novas tecnologias. Então, sempre que necessário, promova treinamentos e atualizações para o colaboradores..

Outra forma de estar preparado para a IOT e toda a automatização que ela traz é investir em ferramentas que permitam controlar com mais agilidade todas as informações sobre o negócio. Exemplo disso é o Business Intelligence, que reúne de forma automática os dados sobre todas as áreas e os transforma em relatórios gerenciais que promovem uma visão sistêmica sobre todo o empreendimento.

Business Intelligence

Contar com soluções que permitem organizar, controlar e avaliar as informações com agilidade e segurança garante ao negócio uma tomada de decisão muito mais precisa. Entre em contato com nossos especialistas e venha conhecer essas soluções! Temos sempre uma equipe disponível para atendê-lo e tirar todas as suas dúvidas.