Desafios e aprendizados de 2020 para as lideranças

*Por Marcio Tomelin, Diretor de Produto e Mercado da WK Sistemas:

Toda crise, por mais dolorosa que seja, traz aprendizados. Uma pandemia de proporções há muito não vista, então, trouxe lições muito valiosas para a sociedade e principalmente para nós, gestores. Em janeiro do ano passado, ainda sem nenhuma previsão do que iria acontecer, nós tínhamos planejamentos, estratégias e metas traçadas para todo o ano. Em março, tudo desabou.

A primeira preocupação foi com o nosso time. Precisávamos colocar todos em segurança o mais rápido possível. E aí veio a segunda preocupação: como fica a produtividade da equipe agora? Será que os colaboradores vão conseguir trabalhar bem de casa, sem o ambiente mais formal do escritório? E os equipamentos, e os horários?

E rapidamente a resposta (e a primeira lição) estava ali: sim, nós podemos fazer tudo isso! Nós fomos forçados a ter um modelo de gestão como nunca antes havíamos feito, e aprendemos desde coisas simples, como não termos uma real necessidade de impressoras, até complexas, como poder deixar a preocupação com horário de lado, confiar nas pessoas e delegar mais. Tudo isso trouxe resultados incríveis, não só nas metas, mas na própria organização.

Tivemos muitos desafios, por exemplo, em relação à medição de indicadores. Como verificar, à distância, as vendas, os leads, o forecasting? Entendemos que precisávamos fazer uma gestão muito mais focada no resultado e menos nas tarefas, confiando mais nas pessoas e orientando sobre qual caminho deveria ser seguido. A transparência foi fundamental nesse processo, porque mostrou para a equipe para onde estávamos indo e quais dificuldades estávamos enfrentando. Assim, todo o time sabia exatamente o que precisava ser feito para que a empresa continuasse numa evolução contínua.

Em relação à forma como fazemos negócios, não tenho dúvidas de que tivemos uma evolução de 10 anos em 6 meses. Nós aprendemos que não precisamos mais nos deslocar para fechar uma parceria, por mais complexa que ela seja, e aprendemos a fazer uma implantação do produto bem feita e otimizada de forma remota. Descobrimos que é sim possível fazer gestão de projetos à distância.

Mas o mais importante foi entender, na prática de uma situação tão difícil como a que tivemos, como ser verdadeiramente um parceiro, e não só um fornecedor.

Lá no início da pandemia, os clientes da empresa onde eu trabalho estavam preocupados e receosos, sem saber como manter as operações em home office. Então nós lançamos um pacote de ações anticrise para que eles migrassem seus sistemas para a nossa nuvem sem nenhum custo, sem carência, sem fidelidade. Fizemos concessões em termos de aplicativos para dar mobilidade e agilidade nas operações, sempre dialogando com clareza e transparência para ajudar o máximo possível.

As empresas passaram a entender que precisavam fazer uma gestão sólida, e nós tivemos demandas repentinas voltadas para BI, gestão orçamentária e integrações com APIs (que conectam a operação com quaisquer outros sistemas). Nós já vínhamos trabalhando com foco em gestão orçamentária e isso aflorou na pandemia, já que passou a ser ainda mais necessário controlar na ponta do lápis cada centavo do que é gasto na empresa, o pagamento de contas, as compras na medida certa, a gestão de contratos. Por isso, colocamos à disposição dos clientes a nossa plataforma de mobilidade em controle orçamentário.

Todas as ações que fizemos ajudaram os clientes a se sentirem mais seguros e acolhidos pela empresa. Colocar o sucesso deles como nossa prioridade foi uma estratégia que deu muito certo, e trouxe um significado muito forte para a nossa relação com os nossos parceiros. Consequentemente, tivemos um ano de ótimos resultados.

Foi um ano difícil, mas 2020 quebrou diversos paradigmas, exigiu novas práticas, trouxe um grande choque cultural, uma evolução sem precedentes e mudanças que vieram para ficar. Claro que a tecnologia foi um elemento fundamental para que as empresas conseguissem se reinventar, mas ela por si só não resolve todos os problemas.

Ficou evidente a necessidade de termos processos bem estruturados dentro das organizações, porque, com a impossibilidade de estar no mesmo ambiente físico, seu time precisa saber o caminho correto para continuar seguindo. Também ficou claro a importância de ter um relacionamento próximo com os clientes, para construir um bom histórico e continuar trazendo resultados contínuos.

Para 2021, desejo que nós não tenhamos medo de seguir nos reinventando e mudando nossas políticas, metas, processos e estratégias. É isto que vai nos impulsionar para cima, e ajudar para que possamos seguir crescendo como pessoas, empresas, negócios e profissionais.