WK Sistemas, através da Lei Rouanet, incentiva edição de livro

A WK Sistemas, através da Lei Rouanet e do Fundo Cultural Federal e Estadual, incentivou a realização do livro “Do Preto e Branco ao Digital – Fotografias de Vilson de Souza”, que narra a vida e obra do fotógrafo blumenauense, atualmente com 64 anos de profissão, sendo o fotógrafo com mais tempo de atividade em exercício de sua profissão no Estado de Santa Catarina.

A Sra. Maria Ignêz Keske, Diretora Administrativo Financeira da empresa, comenta sobre a trajetória do fotógrafo: “Nos últimos 30 anos tenho acompanhado de perto o trabalho do Sr. Vilson Souza como fotógrafo em diversos acontecimentos de Blumenau. Observo um profissional dedicado, perseverante, sério e comprometido com seu trabalho. Tenho muito respeito e carinho pelas inúmeras vezes em que prestou seu valioso serviço em instituições da qual participei diretamente, como também para minha pessoa física, minha família e empresa. Seu trabalho e trajetória profissional merecem, e muito, serem registrados para que permaneçam vivos por muitas gerações, como modelo e exemplo a serem seguidos. Parabéns pelos 60 anos de profissão, de exemplo, registrando e participando deste grande avanço tecnológico que temos vivido em nosso dia a dia. Você faz parte da nossa história. Tenho a fotografia como um hobby pessoal e aonde vou, levou minha pequena câmera, hoje digital, registrando todos os acontecimentos, principalmente nas viagens fora de Blumenau. Já fiz diversos cursos de fotografia e ao concluir cada um deles, meu amor pela fotografia aumenta cada vez mais, bem como a admiração pelos profissionais como Vilson de Souza.


Vilson de Souza, 64 anos de profissão: fotógrafo com mais tempo de atividade
em exercício de sua profissão no Estado de Santa Catarina.

LEI ROUANET
O mecanismo de incentivos fiscais da Lei n° 8.313/1991 (Lei Rouanet) é uma forma de estimular o apoio da iniciativa privada ao setor cultural. O proponente apresenta uma proposta cultural ao Ministério da Cultura (MinC) e, caso seja aprovada, é autorizado a captar recursos junto a pessoas físicas pagadoras de Imposto de Renda (IR) ou empresas tributadas com base no lucro real visando à execução do projeto.

Os incentivadores que apoiarem o projeto poderão ter o total ou parte do valor desembolsado deduzido do imposto devido, dentro dos percentuais permitidos pela legislação tributária. Para empresas, até 4% do imposto devido; para pessoas físicas, até 6% do imposto devido.

Fonte: www.cultura.gov.br | www.folhadeblumenau.com.br