Werner Keske, fundador da WK Sistemas, comemora 40 anos de seu primeiro programa de computador

O empresário catarinense Werner Keske, fundador e diretor presidente da WK Sistemas, empresa desenvolvedora de softwares de gestão e líder no segmento contábil e fiscal, está comemorando uma data muito especial: o dia 25 março de 2012 marcou o aniversário de 40 anos do primeiro programa de computador desenvolvido por ele. Werner, um dos pioneiros da informática brasileira, tinha 15 anos quando conseguiu a façanha. O programa, voltado para o cálculo de comissões sobre vendas, está preservado em 106 cartões perfurados. Eles ganharam uma moldura especial, inaugurada durante coquetel em que reuniu colaboradores, amigos e antigos colegas de trabalho na noite desta segunda-feira, dia 26.

Werner Keske sempre foi autodidata. Nascido em Indaial, mudou-se para Blumenau para fazer um curso de informática numa empresa chamada Prodata. Corria o ano de 1971. “Eu sempre me interessei por informática, principalmente eletrônica. Fui capaz até mesmo de montar meu próprio rádio, que pegava inclusive estações da Albânia”, recorda. Desde os 11 anos, Werner procurava ampliar conhecimentos através de cursos por correspondência. Fez quatro cursos pelo famoso IUB – Instituto Universal Brasileiro. “Cursei Eletrônica, Desenho Mecânico, Contabilidade Prática e até conclui o Madureza Ginasial”, recorda. Em 1970 comprou o primeiro livro sobre computação, que guarda até hoje: “Computadores Analógicos e Digitais”, de Celso Marques Penteado Serra.

OPORTUNIDADE
Ler jornais diariamente era um dos hábitos de Werner Keske em 1971. Ele costumava comprar o recém-lançado Jornal de Santa Catarina, editado em Blumenau, e o tradicional O Estado de S. Paulo. “Eu via os anúncios de empregos, em que as vagas de programador de sistemas eram anunciadas com os salários mais altos”.  A primeira oportunidade veio quando Werner soube de um curso de programação oferecido pela Prodata, empresa subsidiária do Cetil, birô de serviços de processamento de dados que nos anos 70 viria a ser o maior da América Latina.

Werner matriculou-se no curso de Cobol e, ao final, escreveu um programa de computador que calculava comissões sobre vendas. “Escrevi o programa que resultou em 106 cartões perfurados, que executaram no sistema IBM 360/25, o primeiro mainframe do Cetil na época”, lembra.  Seu desempenho foi o melhor entre todos os alunos de sua turma.

Entusiasmado com o resultado, Werner ficou esperando por um convite para ingressar no Cetil como programador. Mas o convite nunca veio. Decidiu então ingressar num curso de inglês, além de continuar os cursos por correspondência. Seis meses depois, ficou sabendo da existência de uma vaga para perfurador de cartões no próprio Cetil. Foi contratado após uma entrevista com o próprio Ingo Greuel, fundador e um dos diretores do Cetil.

Ingo soubera que o jovem candidato a emprego havia feito um curso na Prodata. Curioso, pediu para ver suas notas. Quando viu o alto desempenho de Werner, mandou que o admitissem logo. “Ele deu uma bronca no professor do curso que não havia me aproveitado de imediato, o Cetil precisava de contratações urgentes”, recorda Keske. Antes de ser programador, atuou três meses como perfurador de cartões, sete meses como operador de IBM 360/25 e seis meses como operador de Block-Time no B3500 da Cia. Hering. Foi uma carreira meteórica.

PIONEIRISMO
Werner Keske ficou por 11 anos no Cetil. Saiu da empresa em 1984, quando fundou a WK Sistemas, empresa que revolucionou a produção de sistemas contábeis no país. Foi o primeiro programador brasileiro a lançar um software com janelas sobrepostas e a tecnologia avançada que aplicou aos primeiros produtos da WK resultaram em vários prêmios e até mesmo numa entrevista ao Jornal Nacional.

Hoje, Werner Keske atua como diretor presidente da WK Sistemas. Além de se destacar como radioamador, atuando como voluntário nas comunicações em caso de enchentes, tem se dedicado a algumas viagens internacionais, onde participa de eventos de tecnologia ou shows heavy metal. Em sua sala, ao lado de inúmeros diplomas e certificados, destaca-se uma conquista que ele considera especial: uma foto ao lado do Ozzy Osbourne, tirada recentemente. Werner já tem os ingressos e as passagens para o próximo festival em Wacken, na  Alemanha, onde ficará cinco dias acampado numa barraca com a mulher e o filho. “Quem trabalha com programação de sistemas se estressa muito. Shows e heavy metal servem para me acalmar”, brinca.


Happy hour em comemoração aos 40 anos do primeiro programa
de computador desenvolvido por Werner Keske.


Werner Keske e os cartões perfurados de seu primeiro programa de computador.


Werner Keske & Ozzy Osbourne.