Valor mínimo de TED cai para R$ 1.000,00

A partir do dia 22 de março, o valor mínimo para a realização de uma Transferência Eletrônica Disponível (TED) caiu de R$ 2.000,00 para R$ 1.000,00. Assim, clientes pessoas físicas e jurídicas terão acesso ampliado a um meio prático, ágil e seguro de realizar transferências de recursos entre bancos diferentes.

 
A TED faz com que o crédito entre na conta do destinatário no mesmo dia em que a transferência é solicitada. Em outras formas de movimentação financeira, como o Documento de Crédito (DOC), é preciso aguardar pelo menos um dia para a conclusão da operação. 
 
Para evitar que o atrativo da TED gere uma demanda em excesso e sobrecarregue os sistemas de pagamento e de compensação das transações financeiras, os bancos estabelecem um valor mínimo para realizar esse tipo de transferência. Investimentos em tecnologia na rede de comunicações entre os bancos permitiram a redução sucessiva desse montante nos últimos anos: de R$ 5.000,00 para R$ 3.000,00 em 2010, para R$ 2.000,00 em novembro de 2012 e, agora, R$ 1.000,00. Para transferências interbancárias abaixo de R$ 1.000,00, os clientes ainda podem recorrer aos DOCs, que têm valor limitado a R$ 5.000,00 por transação. 
 
Além da agilidade, a TED também oferece segurança ao cliente, tanto por ocorrer em um meio eletrônico seguro, quanto por permitir que o usuário faça a transferência sem sair de casa. “Com a TED, o cliente não precisa sacar em espécie para fazer a transferência. Basta acessar o Internet Banking ou outros canais eletrônicos de autoatendimento para efetuar a operação”, diz Walter Faria, diretor adjunto de serviços da FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos).
 
As tarifas cobradas para a realização de TED variam de banco para banco, conforme a política comercial de cada um. Para saber os preços praticados, os consumidores podem consultar o Sistema de Divulgação de Tarifas de Serviços Financeiros (STAR) da FEBRABAN. O sistema foi criado em 2007 para levar transparência e comparabilidade sobre as tarifas de serviços bancários. 
 
Fonte: FEBRABAN.