Saiba o que é e qual a importância do PCP para sua indústria

O que é e qual a importância do PCP? Antes de respondermos a essa pergunta, precisamos entender o contexto em que tal ferramenta é aplicada, e tudo passa pela necessidade natural que todas as indústrias têm de planejar, palavra-chave de qualquer iniciativa empresarial. Até porque administrar uma empresa é uma tarefa extremamente complexa e custosa, que exige um conhecimento amplo do mercado e do próprio negócio.

O PCP permite essa visão global. Ele é necessário porque, sem as técnicas adequadas, o processo de familiarização com as condições do próprio negócio e do contexto em que ele está inserido fica muito mais difícil e, não raro, conduz a dificuldades. Por isso, entre as tantas ferramentas utilizadas para um controle mais adequado da indústria, o PCP surge como a mais completa delas.

Mas, afinal, o que é PCP?

Entendendo o que é e qual a importância do PCP

PCP significa Planejamento e Controle de Produção. Por meio dele, o gestor observa a empresa como um todo, entende o que está acontecendo nela por meio das informações dos diferentes setores e aplica correções e melhorias a partir do que foi identificado. Tudo é feito após intenso planejamento e considerando, inclusive, o futuro.

A importância desse sistema está justamente na segunda palavra da sigla: controle. Sem isso, fica bastante complicado garantir que se tenha recursos para tudo funcionar corretamente. Mas siga adiante que a gente vai explicar ainda melhor!

É realmente necessário o PCP para fazer o controle da fábrica? Por quê?

Se o gestor quer redução de custos, qualidade e produtividade, sim. Entender o ritmo de produção é condição básica para garantir os resultados, objetivo de qualquer indústria.

Porém, quando o controle ocorre isoladamente, por exemplo, apenas sobre a produção, uma hora pode faltar matéria-prima. Ou, de repente, a atenção esteja tão voltada ao ritmo de produção que o empresário acaba não se dando conta que os produtos estão acumulando no estoque, porque o volume de vendas não é compatível. Portanto, o PCP propõe que essa observação não ocorra apenas sobre um setor, mas de uma maneira global.

Quando tudo está alinhado, a empresa obedece a um ciclo que garante o bom funcionamento de todas as áreas, uma servindo à outra, de modo que ninguém seja prejudicado, comprometendo o todo.

Como fazer o PCP

O PCP começa com a organização das ações em três etapas. São elas:

  • Planejamento: o que será feito e quanto tempo será preciso para cada etapa ser concluída.
  • Programação: quais recursos serão necessários em cada setor para a realização do trabalho.
  • Controle: monitoramento de todo o processo para corrigir falhas e fazer ajustes a tempo.

O primeiro esforço é, com base no histórico de vendas e na quantidade de clientes, ou mesmo no cenário do mercado, fazer uma previsão de demanda para determinar a quantidade da produção. Isso não só de imediato, mas também em médio e longo prazo. É com base nesse levantamento que o gestor consegue prever:

  • A quantidade de matéria-prima necessária;
  • A quantidade de pessoal necessário para produzir;
  • A adequação da infraestrutura (espaço, maquinário e planta da fábrica);
  • Quando e como esses recursos precisarão ser expandidos para atender ao aumento da demanda.

Portanto, de imediato, o PCP auxilia a adequar o estoque para atender a produção atual e a demanda dos clientes. A capacidade da sua indústria prevista nesse levantamento dá suporte à equipe comercial para que possa vender dentro da capacidade existente.

Com o planejamento de médio e longo prazo, você pode ir ajustando as informações para ampliar o estoque de insumos (e por consequência o volume da produção) para aumentar as vendas e começar a dar passos para uma ampliação mais generalizada.

Claro que, nesse caminho, muita coisa pode acontecer, e a curva de crescimento pode não ser tão ascendente quanto se esperava. No entanto, esse preparo proporcionado pelo sistema PCP dá condições de perceber de imediato qualquer ajuste de rumo e aplicá-lo para não prejudicar os resultados.

Em que tudo isso vai contribuir para a indústria?

Comecemos do estoque: você não terá nem mais, nem menos estoque do que o necessário. Um planejamento e um controle correto farão com que a sua indústria tenha exatamente o necessário para manter a produção ativa sem perder dinheiro com matéria-prima parada. Portanto, não vai faltar nem sobrar insumos. Aí já haverá um ganho importante em economia.

Na produção, o ritmo será otimizado, porque não haverá paradas por falta de matéria-prima, nem atrasos por sobrecarga de trabalho, por exemplo, porque o estoque estará adequado e a quantidade de pessoal será a necessária para dar conta da demanda e cumprir os prazos. Além disso, com o controle proporcionado por esse método, os desperdícios serão reduzidos. De novo, mais economia.

Com a produção refinada, não haverá atrasos na entrega, contribuindo para a eficácia da logística e a satisfação dos clientes, requisito primordial para manter uma boa imagem no mercado e ter mais facilidade em fechar novos negócios, consequentemente, levando à expansão da atuação.

Havendo um controle minucioso da capacidade de produção, a equipe de vendas saberá quando e o quanto poderá e precisará vender. O conhecimento da capacidade de todos os setores facilitará os ajustes para expandir os negócios e, mesmo que a ampliação não esteja entre os objetivos traçados no planejamento para determinado momento, dará segurança aos vendedores em fechar um acordo tendo a certeza da possibilidade de atender àquele novo cliente ou ao aumento de demanda de um já ativo.

Por fim, ao observar o quadro completo, o departamento financeiro vai saber exatamente o quanto está entrando e saindo de dinheiro e poderá organizar os custos para suprir as necessidades de cada setor, fechando o ciclo e permitindo que o estoque esteja sempre em dia, que a quantidade de pessoal e maquinário esteja sempre adequada para a produção e, conhecendo o volume de vendas, prevendo as novas entradas para manter tudo funcionando.

Por meio do planejamento para médio e longo prazo, o financeiro saberá também quando e o quê será preciso para ajustar o orçamento e permitir o passo seguinte. Ao gestor, resta acompanhar todos esses processos para que tudo aconteça conforme o planejado e, como dissemos, em caso de imprevistos, acertar os rumos.

ERP é a chave para conseguir esse resultado

Quando dissemos que “ao gestor resta acompanhar”, quem olha de fora pode achar que é pouca coisa, não é mesmo? Bom… sabemos que não é, não. Por isso é preciso automatizar todo esse processo para existir mais exatidão nas informações. Processos manuais estão sujeitos a falhas que podem comprometer o resultado desse planejamento.

Portanto, um sistema ERP tem o potencial de auxiliar de maneira única o cumprimento de todas as etapas definidas no PCP. Isso porque ele integra todos os setores, melhorando a comunicação entre eles e fornecendo dados precisos em tempo real sobre as atividades em todas as áreas da indústria.

Então, se você precisa de um sistema capaz de atender às necessidades da sua empresa e eficaz para auxiliar o PCP feito por você, conte com a WK! Fale com a gente, conheça nossa solução e saiba como podemos contribuir para melhorar os seus resultados e permitir que o seu planejamento aconteça conforme você espera!