Rateio de custos na indústria: o que é e como calcular

Assim como em outras empresas, nas indústrias existe uma série de custos ligada aos diferentes setores, o que permite o funcionamento de todos os processos. Por isso, é comum que cada área desenvolva seu planejamento próprio para que os gestores entendam não só as ações que serão colocadas em prática, mas também quais serão os recursos necessários para que elas aconteçam da melhor forma. No entanto, o problema surge quando a fábrica tem apenas uma visão geral dos custos, pois isso não oferece um acompanhamento preciso de cada projeto desenvolvido. E para solucionar essa questão é necessário fazer o rateio de custos na indústria.

Para que você entenda bem do que se trata essa atividade, vamos explicar o conceito com alguns exemplos. Imagine que uma montadora de automóveis tenha um custo mensal total de R$ 1 milhão. Esse valor corresponde aos gastos de todas as áreas em conjunto para que a empresa possa funcionar corretamente — e devem ser considerados na hora de estabelecer o preço dos automóveis. Mas se analisarmos os setores individualmente, é fácil perceber que cada um deles funciona como uma célula, realizando tarefas específicas e, consequentemente, apresentando custos diferenciados. Em outras palavras, a participação deles nos custos totais de uma empresa não acontece de forma igual, mas, sim, proporcional ao que é realizado.

É o que acontece, por exemplo, com os setores de comunicação e de produção da montadora. Enquanto o primeiro tem um custo de R$ 100 mil mensais, o do segundo é de R$ 700 mil. Essa diferença é normal, uma vez que a produção exige mais gastos com insumos, energia e manutenção das máquinas, por exemplo. E todos os processos devem funcionar da melhor maneira possível, pois se trata do desenvolvimento do seu portfólio, o responsável por manter a roda girando. Claro que a comunicação também é fundamental, mas os projetos desenvolvidos pela área, neste caso, exigem um valor menor.

O que é rateio de custos, afinal?

Bom, o rateio é exatamente essa divisão proporcional de custos que exemplificamos anteriormente e, para isso, é importante que ele seja feito baseado nos dados de cada uma das áreas. Apenas assim o custo individual delas realmente vai condizer com a realidade. Em outras palavras, podemos afirmar que o rateio é uma estratégia que visa conhecer de forma precisa todos os gastos da empresa para que ela permaneça operando. Ele é feito pela área contábil, responsável por fazer todo o registro por meio das contas de custeio, que, no caso das indústrias, correspondem aos gastos necessários para a produção de mercadorias.

Nesse sentido, dois conceitos são muito importantes para o rateio: os custos diretos e os indiretos. Enquanto os primeiros são os gastos diretamente relacionados à produção, os segundos são os custos que, embora sejam importantes, não são identificados de forma clara na produção, por isso, são mais difíceis de calcular. Retomando o caso da montadora de carros, os custos diretos são as peças necessárias para produzir os veículos, enquanto os indiretos são gastos referentes ao trabalho de marketing ou do financeiro da empresa, por exemplo.

E sabe por que fazer essa análise de custos é fundamental em uma indústria? Porque a partir dela descobre-se a rentabilidade do negócio e o desempenho de todas as suas atividades, ajudando no planejamento, no controle e no desenvolvimento dos diversos processos internos. Assim, é possível precificar de forma correta, otimizar os ganhos e reduzir os gastos. E isso é o que todo empresário deseja, certo? Também é importante ressaltar que as informações obtidas são essenciais nas tomadas de decisões e na realização de investimentos estratégicos.

Os tipos de rateio de custos na indústria e a distribuição deles

Além de permitir uma compreensão minuciosa de como é o trabalho de cada setor (o que ele precisa, em que economizar, em que investir), o rateio de custos é um processo necessário para que a precificação dos produtos seja feita corretamente. Principalmente porque acrescentar os gastos indiretos no preço nos produtos não é das tarefas mais fáceis, exigindo um cuidado maior. Para ajudar nisso, existem alguns métodos de rateio, que podem ser utilizados conforme for mais adequado para cada indústria. Dentre eles, podemos destacar dois tipos:

  • Rateio por faturamento: neste método calcula-se a participação de cada produto no faturamento mensal da indústria. O objetivo é calcular o percentual que ele representa em relação ao todo. Para ilustrar, cada carro popular produzido pela montadora do nosso exemplo pode representar 2% do faturamento mensal da indústria.
  • Rateio por custos indiretos: como o próprio nome sugere, trata-se de aplicar parcelas proporcionais dos custos indiretos no valor de cada produto. E atenção! Esse processo deve ser feito de acordo os cálculos corretos dos custos indiretos da sua empresa para garantir que o rateio seja realizado com precisão. É um processo que exige muito cuidado para que os cálculos não sejam feitos de forma errada.

Como aplicar o rateio por custos indiretos em uma indústria

Embora seja bastante utilizado, o rateio por custos indiretos costuma levantar dúvidas em relação ao cálculo. Mas vamos mostrar que é mais simples do que parece. Antes de tudo, é importante entender que o cálculo é feito em cima de um critério de rateio, ou seja, tendo como base algum dos custos diretos, que deve ser escolhido de acordo com o contexto de cada empresa. A partir dele é que os custos indiretos devem ser rateados para os produtos. Ok, mas então como fazer esse cálculo?

Imagine que uma fábrica de calçados tenha um total de R$ 185 mil de custos indiretos e ela deseja ratear esse valor para três produtos, tendo a matéria-prima como critério de rateio, de acordo com a seguinte proporção: a produção do sapato X gasta R$ 15 mil, a do sapato Y gasta R$ 5 mil e a do sapato Z gasta R$ 5 mil. O primeiro passo é somar o valor total da matéria-prima utilizada nos três produtos, que, neste caso, dá R$ 25 mil (15.000 + 5.000 + 5.000).

Para descobrir o rateio, é essencial tirar a porcentagem de participação de cada produto no consumo total da matéria-prima para que seja aplicada nos custos indiretos. Portanto, é preciso dividir o valor unitário pelo total, o que dá 60% para o produto X (15.000/25.000) e 20% para os produtos Y e Z (5.000/25.000). Essa porcentagem que representa a participação do produto no uso da matéria-prima será a mesma proporção utilizada na relação dele com os custos indiretos.

Por isso, para encontrar o valor desses gastos referente à produção de cada item, basta multiplicar a porcentagem encontrada pelo valor total de custos indiretos. O resultado vai dizer qual é o valor da matéria-prima que a produção de cada produto deve considerar. Neste exemplo, o produto X gasta R$ 111 mil (60% x 185.000) e os produtos Y e Z gastam R$ 37 mil cada (20% x 185.000).

Viu como o cálculo não é difícil? O rateio pode ser aplicado em diversas situações, tanto em relação a um departamento (para descobrir o que cada projeto por ele desenvolvido precisa) quanto como uma etapa para a precificação do produto. Lembre-se de que a exatidão dos dados é essencial nesta atividade e isso pode ser obtido de forma rápida e segura com um bom sistema de gestão. Afinal, a tecnologia é hoje uma importante aliada para garantir informações corretas e disponíveis sempre que necessário.

E aqui a nossa dica é o ERP Radar Empresarial, da WK Sistemas, um software que pode auxiliar na gestão dos custos da sua indústria com eficácia, pois oferece diversos critérios de rateio buscando informações diretamente da contabilidade, tornando os resultados ainda mais precisos. Como foi desenvolvido especialmente para atender às necessidades industriais de ponta a ponta, além de possibilitar uma gestão de custos de forma simplificada, também auxilia na eliminação de riscos nos negócios e aumenta sua competitividade no mercado. Para conhecer melhor o nosso ERP, continue acompanhando nosso blog e entre em contato com a nossa equipe!