eSocial exige força tarefa

Raquel Corrêa Nunes Mueller, Analista de Negócios da WK Sistemas, ministrou palestra sobre o eSocial, na sede da empresa, hoje pela manhã, dia 30 de outubro. Na oportunidade, os colaboradores da WK Sistemas puderam conhecer mais detalhes sobre este projeto que visa racionalizar e uniformizar as obrigações acessórias para os empregadores através de envio digital para os diferentes órgãos de Governo, usuários da informação.
 
Como a implantação do eSocial está prevista para 2014 e faltam, portanto, poucos meses, o momento requer adequação das empresas, que precisam capacitar seus colaboradores, avaliar a necessidade de novas contratações e analisar as relações de trabalho entre os setores da empresa. Será necessário levantar as informações da empresa e de cada trabalhador, seja este permanente ou sem vinculo de trabalho. Sendo assim, nessa primeira fase, as empresas precisam realizar uma auditoria interna atualizando as informações em seus softwares de folha de pagamento.
 
A partir do eSocial, o empregado passa a fiscalizar a empresa através de um Portal, que será liberado pelo Governo em um segundo momento. E as empresas também têm seus benefícios em poder acompanhar os valores de tributos, compensações, restituições e negativas da empresa, tudo em um único lugar”, comenta Raquel. Outra mudança interessante refere-se à prática comum do malote, onde documentos são reunidos e despachados ao final de cada mês para a contabilidade. “As empresas devem repensar a funcionalidade do malote reavaliando meios para tratar as informações de forma pontual, praticamente no momento em que ocorrem”, alerta.
 
Raquel salienta sobre a abrangência do projeto, enfatizando como o eSocial irá integrar todas as informações sobre os trabalhadores, fato que facilitará a análise e o cruzamento de dados pelo Governo. “O eSocial é muito abrangente. Por exemplo: o simples fato da empresa disponibilizar uniformes para os seus empregados, em princípio, nem teria ligação com a folha de pagamento. Esta informação, no entanto, agora passa a constar como rubrica informativa e deve constar na folha de pagamento. Isto quer dizer que para fornecer os uniformes aos empregados, a empresa efetuou uma compra que, obrigatoriamente, gerou uma Nota Fiscal que, por sua vez, está associada a um fornecedor e a folha de pagamento.
 
O Radar Folha atenderá 100% o eSocial, com informações da vida laboral do trabalhador como, por exemplo, informações de ASO e dados do médico responsável, assim como identificação dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e responsável técnico pelos laudos da empresa, entre outros itens.
 
Os gestores precisam conhecer o eSocial e repassar este conhecimento aos seus colaboradores, conscientizando todas as áreas da empresa. O setor pessoal deixa de ser um setor de cálculo para ser um setor de comportamento, isto significa que as informações que ficariam em arquivo, agora precisam ser alimentadas no software de folha, recebendo informações de diversas áreas da empresa. Cada colaborador individualmente deve também se comprometer a informar a empresa. Trata-se realmente de uma grande força tarefa em torno do eSocial”, finaliza.