Entenda por que a manutenção industrial deve ser encarada como investimento

Quem tem uma indústria deseja ser competitivo. Isso é um fato. O problema é quando os empresários acreditam que podem ter essa conquista somente com ações relacionadas aos produtos, ao financeiro ou ao marketing. Tudo isso faz parte, é claro, mas não termina por aí. Cuidar bem do maquinário da empresa também é estratégico. Por isso, encarar a manutenção industrial como investimento, e não como gasto, é algo que deve estar no DNA do negócio.

Vamos imaginar uma situação. Uma fabricante de alimentos começa a emplacar um produto no mercado, vê seus pedidos aumentarem, uma vez que está ganhando a preferência dos consumidores, e acaba conquistando vantagem em relação aos concorrentes. Tudo vai muito bem até que duas das principais máquinas da empresa não aguentam e estragam, parando de funcionar em um momento muito importante.

Pode ser que o defeito seja simples e rapidamente consertado. Mas, por outro lado, a avaria pode ser maior, exigindo, por exemplo, a troca de uma peça que não tem a pronta entrega. Em um caso assim, interromper a produção não acarretaria apenas prejuízos internos pelo tempo em que funcionários e máquinas ficariam parados, mas também poderia fazer a marca perder o terreno que estava ganhando no mercado, algo que, geralmente, é conquistado sempre com muito esforço e dedicação.

Este é apenas um exemplo da importância de pensar a manutenção de forma estratégica. Se a indústria que citamos tivesse feito um trabalho prévio de gestão da manutenção, seria grande a chance de que o maquinário suportasse todo o trabalho sem apresentar defeitos. Isso porque a empresa se anteciparia aos riscos, corrigiria problemas e faria um planejamento com base em informações corretas.

Tipos de manutenção industrial

Há três tipos de trabalho de manutenção industrial. Confira quais são:

Manutenção corretiva

A manutenção corretiva é justamente a indicada para a primeira situação envolvendo o nosso exemplo. A atuação, nesse caso, seria apenas de correção e reparo do problema das máquinas. Sem uma preocupação anterior, a empresa precisaria remediar, arriscando a produção de maneira desnecessária.

Esse tipo de manutenção, de característica reativa, costuma ter alto custo. Um dos motivos nós já comentamos, que é a parada da produção e o prejuízo que isso causa. O outro é o valor do reparo, que é imprevisível e, dependendo do estrago, pode acabar indo muito além das expectativas, causando um rombo nas finanças.

Manutenção preventiva

Temos também manutenção preventiva, na qual a empresa começa a atuar de forma a evitar o uso de remédios amargos. Em outras palavras, os profissionais antecipam-se a possíveis problemas e tomam as atitudes necessárias, como a troca de peças que apresentam alto grau de desgaste e que, por isso, precisam ser substituídas.

Isso tudo é feito de maneira planejada. As paradas das máquinas para a realização da manutenção preventiva são programadas, podendo ser realizadas, por exemplo, em períodos de baixa demanda, fins de semana ou outros dias e horários em que os operadores não estejam trabalhando.

Além de diminuir os riscos de quebra dos equipamentos, a manutenção preventiva ajuda a aumentar o tempo de vida útil das máquinas e das peças, pois evita desgastes desnecessários e reduz o envelhecimento. Assim, todo o parque fabril permanece muito mais conservado e produtivo.

Esse tipo de manutenção apresenta resultados eficientes, mas exige cuidados. O planejamento pede máxima precisão, os horários de parada devem ser devidamente combinados entre todos os setores e, claro, os profissionais precisam atender aos requisitos de qualidade da empresa.

Manutenção preditiva

O outro tipo de manutenção é a preditiva, que nada mais é do que o acompanhamento das máquinas por meio de informações coletadas em monitoramentos e inspeções periódicas. Para isso, são utilizadas técnicas como análise de fluidos, análise estrutural, análise das superfícies e estudo das vibrações.

Dessa forma, é possível se antecipar a problemas que possam parar as máquinas e ter noção real do estado dos equipamentos. Além disso, os profissionais também conseguem dimensionar a vida útil das peças e pensar em ações que ajudem a empresa a aproveitar melhor esse tempo de produtividade.

A manutenção preditiva tem como principais objetivos, portanto, a redução de desmontagens das máquinas, a diminuição de desgastes e o aumento da confiança em relação ao equipamento. Tudo isso ajuda na redução de custos, assim como a manutenção preventiva.

Os ganhos em segurança e meio ambiente

As vantagens da manutenção chegam ainda a outras duas áreas. Uma delas é a segurança. Isso porque máquinas que recebem manutenção periódica e de forma planejada e, assim, tornam-se mais seguras. É importante levarmos em consideração, aqui, que, ao quebrarem, os equipamentos podem machucar quem estiver por perto. Então, nada mais adequado do que os dispositivos que evitam acidentes também passarem por essa revisão.

O outro aspecto é o meio ambiente. Para falar sobre esse tema, podemos usar como exemplo a análise de fluidos. O vazamento de óleo de uma máquina pode ser extremamente prejudicial à natureza, dependendo do local e de para onde vai esse material. O mesmo vale para a emissão de poluentes.

Tudo isso que falamos só será eficaz com uma boa gestão da manutenção. Para isso, existem algumas soluções que podem ajudar sua indústria. Entre elas está o ERP Radar Empresarial, da WK Sistemas, que possibilita registrar e controlar as execuções de manutenções preventivas e corretivas dos recursos por tipo de máquina.

Além disso, permite que a empresa programe toda a manutenção por prazos determinados e esporádicos. Dessa forma, pode-se, inclusive, programar e solicitar os materiais necessários para a revisão dos equipamentos.

Para saber mais sobre como podemos ajudar sua indústria a manter todo o maquinário em dia, converse com a nossa equipe! Estamos à disposição para ajudar você a fazer com eficiência a gestão da manutenção dos seus equipamentos.