Como superar a resistência às mudanças exigidas pelo eSocial?

Há um tema no mundo dos negócios que sempre rende exaustivas análises e comentários: MUDANÇAS! Por mais que se escreva e fale a respeito, há quem não consiga lidar de forma positiva com as mudanças.

O fato é que, no mundo dos negócios, mais do que nunca é necessário contar com um grande poder de adaptação a mudanças. Isso porque, com a velocidade com que acontecem, torna-se difícil acompanhá-las.

Parece que nos dias atuais as organizações e pessoas vêm resgatando sua essência e proporcionando grandes transformações na forma de pensar, agir e interagir com o mercado.

Mesmo assim, ainda presenciamos organizações que cresceram, mas que até hoje vivem alicerçadas por conceitos e estratégias já superadas, sem que tenham promovido as mudanças necessárias.

Se a mudança é inevitável por que, ainda assim, há quem tenha tanto medo? A resposta é simples e complexa. Pois é, isso mesmo, os processos de transformação causam na vida das pessoas e organizações uma sensação de dualidade. A dicotomia entre a incerteza do novo e a ineficiência do velho provoca uma inércia inicial. Isso tende a gerar resistência a mudanças. A necessidade de estabilidade e o conforto do conhecido dificultam a adoção de novos procedimentos, por exemplo. Interessante que, quanto mais inovadora for a nova situação, maior será o grau de resistência natural.

Assim, por mais que as organizações disponham de avanços tecnológicos, ainda são as pessoas que desenvolvem os processos, têm a visão de novos caminhos e encontram formas de trilhá-los.

O fato é que, entre a visão do novo caminho e sua realização, é preciso construir um rumo que permita concretizar as mudanças e adotar novas estratégias, processos, sistemas e procedimentos.

O grande desafio das organizações e pessoas na atual conjuntura do mundo dos negócios é a mudança dos seus paradigmas, atitudes e comportamentos. E, para que isto tudo se concretize, os profissionais das organizações precisam ter as competências necessárias desenvolvidas para imprimirem este novo rumo e serem agentes propagadores das mudanças.

A experiência e os cases de sucesso têm mostrado que as organizações com os melhores resultados e inovadoras na geração de mudanças do comportamento são aquelas que desenvolvem seus profissionais através de programas de sensibilização, feitas de maneira individual e/ou coletiva.

Mudar é preciso. E, mais do que um fato, é uma necessidade que o mundo dos negócios impõe às organizações e seus profissionais.

Quanto ao eSocial, não há dúvidas: o momento é agora! Portanto, vamos estudar e nos capacitar para nos tornarmos um profissional com diferencial. Somente assim teremos reconhecimento e capacidade para melhorar as práticas e provocar uma verdadeira MUDANÇA CULTURAL em nossas empresas.

Fonte: Adaptado de ABRH Nacional – Claiton Fernandez.