Como o planejamento de cenários pode diminuir as incertezas empresariais no período eleitoral

No primeiro domingo de outubro, mais de 147 milhões de brasileiros devem ir às urnas para eleger deputados federais e estaduais, senadores, governadores e o próximo presidente do país. Até lá, a cada nova pesquisa divulgada, aumentam as incertezas empresariais no período eleitoral, um clima de indefinição que afeta toda a população.

Diante desse contexto de instabilidade, que deve ser prorrogado até o fim do outubro, com a votação em segundo turno, grande parte dos analistas, investidores e empresários suspendem novos investimentos e contratações em busca de mais segurança, adiando a tomada de decisão. Mas como é possível administrar os negócios frente a tantas possibilidades?

Para responder a essa questão, neste artigo, vamos abordar as possíveis mudanças econômicas geradas pelos resultados da eleição e como a sua empresa pode se preparar para elas por meio do planejamento de cenários. Confira!

Como as eleições podem impactar o cenário econômico

O maior ponto de interrogação em relação ao processo eleitoral está na escolha do novo presidente. Treze candidatos buscam alcançar o maior cargo político do país com programas de governo muito diferentes, o que pode representar a continuação da agenda reformista do atual mandato, que aprovou a reforma trabalhista e propôs a reforma da Previdência, ou ainda uma completa mudança na política econômica do país.

A eleição de um presidente com agenda reformista ou antirreformista pode impactar consideravelmente os números do país, como demonstram os dados de um estudo realizado pela Tendências Consultoria Integrada. Conforme o relatório, o PIB (Produto Interno Bruto) pode ter crescimento de 3,1% até 2022 em caso de uma política reformista, e de 1,3% em um governo que suspenda as reformas.

Da mesma forma, ao fim do próximo mandato, a estimativa é de que, em um cenário reformista, o dólar opere abaixo do valor atual, em R$ 3,60, enquanto em um contexto contrário, a previsão é de que chegue a R$ 4,71. Resultados semelhantes também são esperados em relação à inflação e à taxa de juros: 3,8% e 7,0%, respectivamente, em um governo reformista, e 7,9% e 17,5% em um quadro antirreforma.

A indefinição gerada pelas eleições traz incertezas também em relação ao cenário internacional. O risco-país do Brasil, medido pelo Credit Default Swap (CDS), uma espécie de seguro que funciona como medição de risco entre as economias, é o segundo maior na América Latina, com um aumento de 80 pontos desde o início de 2018, atrás apenas da Argentina, que enfrenta uma crise econômica e avançou 315 pontos no mesmo período. Para os investidores, quanto maior este índice, mais arriscado é fazer investimentos no país.

Essa conjuntura não é ignorada pelos empresários brasileiros. Em abril, a pesquisa Lide, desenvolvida pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide) e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), demonstrou que o otimismo do empresariado do país, medido pelo Índice de Clima Empresarial, apresentou recuo, tendo o cenário político como o assunto mais preocupante para o grupo (96%).

Incertezas empresariais no período eleitoral: como seu negócio pode se preparar

Diante desse cenário, não há dúvidas que a eleição de um novo presidente pode desencadear diversas mudanças relacionadas à economia, impactando na taxa de juros, inflação, valor do dólar e outros aspectos relevantes para quem deseja investir no país. E é fundamental que as empresas estejam preparadas para todos os cenários possíveis.

Assim, o primeiro passo é considerar essas possibilidades no planejamento estratégico da empresa, instrumento que norteia as ações e objetivos do negócio. Ao elaborar esse documento, faz-se uma análise do contexto atual do empreendimento, uma definição de metas para um determinado período e, por fim, uma programação das ações que devem ser desenvolvidas para alcançar o objetivo.

Neste processo, uma etapa fundamental é a análise de cenários, que se torna ainda mais importante no contexto de incertezas gerado pelo processo eleitoral. Por isso, mesmo que a sua empresa já tenha um planejamento estratégico definido, vale revisitá-lo ainda antes das eleições para considerar as mudanças que podem surgir com um novo governo.

A organização deve considerar informações internas e externas para avaliar quais são seus riscos e oportunidades em cada cenário possível. Em se tratando de empreendimentos que importam matéria-prima ou que exportam mercadorias, é preciso ficar ainda mais atento em relação à operação de moedas estrangeiras.

O ideal é que a empresa estabeleça três cenários: um otimista, outro mediano e um terceiro considerando um contexto econômico negativo. Cada um deles deve abranger todos os processos do negócio, como a relação com fornecedores, estoques, vendas, possibilidade de novos investimentos, expansão da marca, entre outros aspectos que envolvam receitas e despesas e possam ser impactados pelas mudanças das quais falamos no início.

Neste sentido, também é importante considerar essas suposições no orçamento da empresa, a fim de que ela se adapte facilmente a cada cenário. O nosso guia do planejamento orçamentário pode ajudar você a projetar as demandas de cada área e a fazer o acompanhamento dos resultados. Baixe o material gratuitamente agora mesmo! Basta clicar na imagem abaixo:

Planejamento orçamentário

Planeje o futuro e esteja mais preparado para as mudanças

As incertezas do cenário eleitoral vão continuar até o fim de outubro, mas ficar esperando por uma definição sem se planejar não é nada promissor. A escolha de um novo presidente, assim como dos outros cargos políticos, deve trazer mudanças, e as empresas precisam estar preparadas para manter sua saúde financeira e sua competitividade.

Dessa maneira, o planejamento de cenários, etapa fundamental do planejamento estratégico, é ainda mais importante. Seu objetivo não é exatamente prever o futuro, mas, sim, tornar mais assertiva a tomada de decisões independentemente do resultado das urnas.

E na sua empresa, como anda a discussão sobre as eleições e seus impactos nos negócios? Compartilhe suas impressões conosco e envie esse material para a sua equipe também!