Atender a legislação: uma missão impossível?

A busca por competividade com sustentabilidade é o objetivo central do Mapa Estratégico da Indústria 2013-2022, estudo elaborado pela Confederação Nacional da Indústria, a CNI. Os caminhos apontados – e que funcionam como uma espécie de roteiro para a próxima década – são fruto de discussões que envolveram 520 empresários, especialistas e representantes de organizações empresariais.

O cenário global até 2022, ano que marca o bicentenário da independência brasileira, aponta oportunidades e ameaças para a economia e, em especial, para a indústria do país. E só há um rumo seguro para garantir empresas fortes e competitivas internacionalmente: o aumento da produtividade, comprometida ao longo de nossa história recente.

O Mapa Estratégico da Indústria 2013-2022 apresenta análises sobre Inovação e Produtividade, Relações de Trabalho, Financiamento, Infraestrutura, Tributação e Educação, e o impacto destes elementos sobre o Ambiente Macroeconômico, a Eficiência do Estado, o Desenvolvimento de Mercados e a Segurança Jurídica e Burocracia.

Em específico sobre o item “Segurança Jurídica e Burocracia” a CNI apresenta, de forma assertiva, um resumo sobre a situação atual das indústrias – e por que não dizer de todas as empresas brasileiras – acerca do atendimento da legislação:

No geral, o industrial brasileiro tem uma área de atuação muito maior que o mercado, os concorrentes e seus funcionários. Tribunais, cartórios, repartições públicas e órgãos de todas as instâncias são parte da rotina de qualquer empresário, não importa seu tamanho. Trata-se de um terreno movediço.

A cada dia útil, são editadas 776 novas normas nas três esferas de governo. São leis e regulamentos, medidas provisórias, ações judiciais e regras ambientais. Uma empresa de médio porte precisa atender a mais de 3.200 normas – só no âmbito tributário. Quando essas regras são excessivas ou ineficientes, a atividade empresarial vira refém da burocracia, uma das causas da informalidade nos negócios, da sonegação, da corrupção e da insegurança jurídica.

Segundo a CNI, é preciso dar clareza às normas, maior celeridade à tramitação judicial, redução da burocracia e aperfeiçoamento do sistema de licenças ambientais.

Exame – Edição Especial 40 Anos – Julho/2013 – p. 149. | Imagem: hahnbowersock.

A WK Sistemas ratifica o estudo da CNI observando que o atendimento à legislação não é uma dificuldade exclusiva da indústria brasileira. Como empresa líder em desenvolvimento de softwares contábeis e fiscais do país, com 30 anos de experiência no mercado, a WK Sistemas ressalta que, diante de leis, regulamentos e medidas provisórias, as empresas contábeis estão tendo um volume de serviços crescente e com um nível de responsabilidade nunca visto antes no país. Esta grande quantidade de informações detalhadas aliada à complexidade dos projetos SPED tem tornado inviável o serviço contábil isolado das operações de seus clientes.

Diante deste cenário, e visando atender as necessidades das empresas contábeis e seus clientes, a WK Sistemas dispõe de uma solução completa ERP incluindo sistemas altamente integrados com as partes Fiscal e Contábil, além de Patrimônio e Folha de Pagamento, o que permite uma junção de 100% das atividades da empresa contábil com as operações do dia a dia de seus clientes, com adequação total ao SPED e IFRS, atendimento aos prazos do Fisco, eficiência operacional, segurança nas informações e melhorias no processo de gestão.

Realmente, atender a legislação tem se tornado uma missão cada vez mais impossível, principalmente para aquelas empresas que não dispõem de um ERP capaz de integrar, de forma eficiente e segura, suas áreas, processos e informações.

Saiba mais:
Solução WK Industrial
Programa de Parceria WK